Vamos falar de coisa boa?

Corrida para o Oscar

Ou, época boa pra assistir filmes bons.

Mesmo com toda essa polêmica envolvendo uma das premiações mais famosas do mundo e aguardadíssima pelo Rubens Ewald Filho (risos), o mais legal dessa temporada pré-Academy Awards são as películas que estreiam por aqui.

Claro que, infelizmente, com essa onda de só ter filme ruim e dublado nos cinemas da minha amada São Bernardo – e arredores (vocês não sabem a dificuldade que é encontrar filme bom legendado e num horário razoável nas salas daqui) -, ainda há uma luz no fim do túnel chamada São Paulo.

Das obras que já estão em cartaz e concorrem a prêmios, eis a lista de algumas que estou curiosa pra ver:

  • Creed – Nascido para Lutar: esse é o que quero ver logo. Primeiro, pelo Michael B. Jordan, que, pelo trailer, já me chamou a atenção pela sua dedicação (a.k.a. QUE COSTAS SÃO AQUELAS!!!???!!!) e empenho como Adonis Creed, o filho bastardo de Apollo, o grande campeão que morreu no ringue enfrentando o Drago. Fora que tem Rocky Balboa ressurgindo das cinzas pra ser o treinador do filho do seu parça e, também, ex-treinador. Inclusive, Sylvester Stallone já levou o Globo de Ouro pela sua atuação no filme. Logo, deve ser demais. E tem-que-ter cena do rapaz correndo na rua e subindo as escadarias do Museu de Arte da Filadélfia ao som de  “Gonna Fly Now“;
  • O Regresso: será que dessa vez o Leonardo DiCaprio leva a estatueta dourada? Dizem que sim, porque em todas as premiações que antecedem o Academy Awards ele tá ganhando como Melhor Ator. Mas esse filme, que conta a história de um cara que foi deixado pra morrer pelos “companheiros” depois de ser atacado por um urso parece ser bem interessante. Intenso. Rústico. Fora que tem o gato-garoto do Tom Hardy, que também concorre ao Oscar, só que na categoria de Melhor Ator Coadjuvante;
  • Spotlight – Segredos Revelados: filme sobre jornalismo, o de verdade, não o que a Folha quer fazer contratando Kim Kataguiri como “comentarista”. Fala sobre um jornal que investiga crimes cometidos por padre e escondidos pela Igreja Católica nos EUA. Um tema que, vez por outra, reaparece na mídia e faz com que a gente queira esganar as pessoas que usam a religião pra se aproveitar de outras pessoas;
  • Ex-Machina – Instinto Artificial: ficção científica que conta a história de um programador de uma empresa phoda que ganha um concurso interno e vai passar uns tempos na casa do patrãozão (interpretado pelo novo galã Poe Dameron Oscar Isaac), que é todo trabalhado no high tech e na reclusão. Nessa mansão, ele conhece uma robô sofisticadérrima. Ela chega até a flertar com o rapaz, claro, controlada pelo chefe. Só que acontece alguma coisa que deixa a experiência meio bizarra e, aí, meu amigo, o caos se instala;
  • A Garota Dinamarquesa: Eddie Redmayne, vencedor ano passado do Oscar de Melhor Ator, volta a concorrer na mesma categoria, dessa vez por interpretar a primeira pessoa a fazer uma cirurgia de mudança de gênero. Tema polêmico. E que, mais do que nunca (parodiando Fausto Silva), deve ser debatido mais e mais vezes pela mídia, por Hollywood, por toda a sociedade;
  • Perdido em Marte: eu sei, esse já é “velho”, mas eu ainda não vi, mesmo ele tendo sido indicado por várias pessoas que amaram. Meu chefe, inclusive, disse que viu umas três vezes. Fala sobre um astronauta, Matt Damon, que fica “perdido” no planeta vermelho depois de um acidente. Pra sobreviver lá, ela dá seus pulos: planta batata, planta bananeira (risos), consegue se comunicar com Houston, enfim. E dizem que é muito engraçado;
  • Mad Max Fury Road: esse eu queria ver só pelo Tom Hardy, mas disseram que a Charlize Theron tá fodástica, então é isso aí. Confesso que já tentei ver os antigos, com o Mel Gibson, mas só lembro de algumas cenas das vezes que passava aos domingos no “Temperatura Máxima” e já me cansava de ver tanta poeira, areia e gente feia. Ahahahahahahahahahaha! O bom mesmo dos filmes dos anos 1980 é a Tina Turner!!!
  • Steve Jobs: que o Michael Fassbender não tem nada a ver com o falecido dono da Apple todo mundo sabe (só o Ashton Kutcher conseguiu chegar a tal semelhança física), mas ele é um puta ator e quero ver o filme só pra vê-lo atuar;
  • O Quarto de Jack: Brie Larson, a protagonista do filme, já ganhou o Globo de Ouro como Melhor Atriz, deixando Cate Blanchet chupando o dedo. E o menininho que interpreta Jack é uma graça e levou o Critic´s Choice. O filme conta a história de uma mãe e um filho que vivem em um quarto, sem nunca saírem de lá. Ela faz de tudo pra dar uma vida normal ao menino, mas a curiosidade dele sobre o que há lá fora começa a crescer. E aí tem que ver pra saber o final.

Acho que por enquanto, essa listinha está de bom tamanho. Vamos ver quais consigo ver antes do DiCaprio ganhar seu primeiro Oscar. Ahahahahahahahahaha!!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s