Vamos falar de coisa boa?

Coisas que fiz

Faz mais de um mês que não posto nada por aqui. Ou foi falta de assunto, ou de vontade, ou ambos, ou até mesmo esquecimento.

Os últimos dias foram movimentados. Algumas alegrias, muitas decepções. Porém, caminhando, vivendo e almejando sempre aprender e viver coisas novas (e boas).

Por isso, resolvi compartilhar aqui coisas que fiz nesse tempinho. Vamos lá:

  • Comecei a ler 5 livros e terminei 3 (“O Talentoso Ripley” – fantástico!! -, “Paris 20” e “Depois Daquela Viagem”). Os que ainda não concluí são “Laranja Mecânica” – que estou gostando muito, mas, como só fico com tempo de ler à noite, geralmente ou durmo ou leio poucas páginas – e “Stardust, o Mistério da Estrela”. Este último peguei pelo interesse em conhecer mais do Neil Gaiman, de quem ouço falar muito bem, mas que nunca li nada;
  • Vi “The Get Down”, achei o protagonista muito foda, mas só curti mesmo os dois últimos episódios, que são, de longe, os melhores dessa temporada liberada pela Netflix. Claro, é preciso contar a história do começo, enrolar um pouquinho, ambientar, pra que depois tudo flua como a rima dos MCs, os scratches dos DJs e a malemolência dos B-Boys. Quem quiser se aventurar no Bronx do final dos anos 1970, vá em frente, mas tenha paciência porque o ritmo inicial da trama dá um certo sono;

the-get-down-

  • Tentei (re)assistir à pérola da Sessão da Tarde “Um Morto Muito Louco” (pa ra pa ra pa pa pa pa…) com meu namorado no fim de semana que passou, mas me deu uma vontade tão grande de tirar um cochilo que a gente nem chegou na parte da morte do cara! Ahahahahahahahahahahahahaha… Ah, e o título original do filme é “Weekends at Bernie´s” – Bernie é o defunto. TUDO A VER com o nome em português do Brasil!;

divulgação[Imagem: Divulgação]

  • Usei o Uber. Adorei e odiei a experiência. Amei pela praticidade e preço. Odiei porque na última corrida deu um rolo, acionei o “help” que sempre responde com uma frase nova e o restante texto padrão e, quando tentei usar de novo, não consegui concluir o pedido porque ficava solicitando número do cartão de crédito, sendo que a opção dinheiro estava disponível e acabei desistindo xingando muito e p. da vida. Ou seja, do céu ao inferno em menos de uma semana. Queria muito usar de novo, mas já desinstalei do celular;
  • Dei uma chance para YouTubers/ Bloggers que só conhecia de nome. Foi o caso da Juliana Goes e da Karen Bachini. Gostei bastante do conteúdo e da forma como elas se comunicam com quem está assistindo, sem enrolar demais (porque tem uns que demoram minuuuuutos eteeeeernos pra chegar logo no assunto e, quando chegam, gastam segundos pra concluí-lo) e dizendo as impressões que elas tiveram sobre determinada coisa. Também cito aqui a Nátaly Neri e a Preta Araújo – essa, meus amores, é direta ao ponto e tem um conteúdo mara! Você, negra e negro, que precisa de uma palavra empoderada e de valorização da nossa cultura e beleza e história, por gentileza, procurem as meninas nas redes e assistam os vídeos, leiam os posts, que são muito bacanas.

Vamos ver se, daqui pra frente, consigo produzir mais conteúdo pro blog. #Oremos.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s